Denise Alcântara - Clínica de fisioterapia

Clipping

Portal Pe360graus
Quinta - 19/05/11 08h59, atualizado em 19/05/11 09h23

Fisioterapeuta explica qual é a posição correta na hora de dirigir

Motoristas que passam muito tempo dirigindo podem sofrer dores na coluna, nas pernas, em todo o corpo; um dos problemas é a postura inadequada.

O trânsito na Região Metropolitana pode causar muita dor de cabeça nos motoristas – literalmente. Quem enfrenta os engarrafamentos frequentes pode sofrer com dores na coluna, nas pernas, no corpo todo. Muita gente passa horas dentro do carro, na mesma posição, trocando de marcha, acelerando, freando... E, no fim do dia, as queixas são inevitáveis.

Valmir Varela de Vasconcelos é taxista há oito anos. Passa 14 horas, por dia, sentado no banco do carro, transportando passageiros para cima e para baixo. Quando chega em casa à noite, começa a sentir o esforço de todo o dia. "A dor é horrível, se localiza na coluna, dói demais", diz.

De acordo com a fisioterapeuta Denise Alcântara, uma orientação simples para evitar problemas mais graves de saúde é disciplinar a postura. "Uma má postura sobrecarrega os músculos de respiração e diminui o fluxo sanguíneo na região da cabeça, aumentando o estresse e também as dores", explica.

Uma dica para corrigir a postura é usar uma toalha enrolada no assento do carro. "Dobra e faz um rolinho. Aí coloca na parte posterior do assento, para corrigir o aumento da cifose, que vai melhorar a lordose lombar", orienta a especialista. "A toalha vai fazer uma contenção no corpo como um todo".

O encosto do banco, segundo ela, deve estar sempre reto para proteger a coluna. "A cabeça fica muito na frente, porque o encosto está muito atrás. Isso vai criar uma cifose e o motorista vai apresentar dores na base do pescoço. Então o banco deve ficar mais em pé", explica a fisioterapeuta.


TV Globo (Canal 13) – Bom Dia Pernambuco (6h30)

Youtube

A matéria teve chamada na home do portal:

Personagem
O "super" João Paulo não dá asas ao estresse!
Publicado em 10.06.2007

Condutor do processo sucessório de 2008 no campo da esquerda, prefeito executa dez atividades, entre elas a osteopatia, para manter o equilibrio na vida

Cecília Ramos
cecilia.ramos@jc.com.br

Sem alarde, o prefeito do Recife, João Paulo (PT) tem se dedicado a prevenir o estresse. Condutor do processo sucessório de 2008 no campo da esquerda, o petista está dando especial atenção às atividades extra-política para tentar administrar os problemas que se acumulam embaixo do seu nariz. Não é novidade o seu gosto por meditação e astrologia, mas a determinação de neutralizar as tensões diárias salta aos olhos. E, entre as dez atividades que ele atualmente pratica, uma desperta, no mínimo, curiosidade. Trata-se da osteopatia, terapia manual que previne o estresse com técnicas específicas para cada tecido do corpo.

O método é tão intenso que o paciente só pode fazer uma vez por semana, embora João Paulo insista em querer mais. Enquanto a massagem trabalha apenas o músculo, a osteopatia atinge também ossos, ligamentos e vísceras, buscando a origem da dor. "A técnica vai liberando os pontos de tensão que a gente acumula no corpo. Quando eu estou tensionado é uma sessão de tortura. Mas é compensador", explica o petista. Ele não tira este compromisso da agenda por nada. Na semana passada, por conta de uma viagem a Brasília, no dia da consulta, João Paulo remarcou para o dia seguinte.

Explica-se: diante da responsabilidade de administrar a cidade, uma eleição que se aproxima, conviver com o fogo amigo e ainda trabalhar para manter-se no poder, só mesmo com muita técnica. "O prefeito nunca esteve com o corpo tão equilibrado quanto agora, apesar desses estresses todos com a pré-campanha, o Parque Dona Lindu... Ele é muito aplicado", avaliou a fisioterapeuta e osteopata Denise Alcântara. Segundo ela, as queixas de João Paulo se concentram na coluna – sobretudo na área do pescoço, foco de tensão. "Hoje, como ele está muito equilibrado – emocional e fisicamente – estamos fazendo um trabalho de prevenção e manutenção." Denise conta que o petista anda tão relaxado que, algumas vezes, dorme ao final da sessão (às terças-feiras, das 7h às 8h). O resultado mais valioso é que o petista tem conseguido impedir que o estresse atinja sua estrutura.

"A cada ano, eu diminuo a ansiedade e tenho mais paciência, mais tolerância e maior capacidade de compreender as dificuldades e os erros das pessoas. Hoje eu sou uma pessoa resolvida política e internamente", auto-avalia João Paulo. E é o próprio quem garante que, este ano, véspera de sucessão municipal, já está "pronto para agüentar a pressão". Há quem diga que ele teria perdido às rédeas do comando do processo de 2008, em face à falta de consenso no PT e a reprovação prévia, porém velada, entre aliados, do nome de sua preferência, o secretário de Planejamento Participativo, João da Costa (PT). Alheio à cara feia de alguns companheiros, o prefeito segue fazendo o seu jogo. Não tem economizado nos elogios a João da Costa. Como ele lida com a pressão? "Se eu não meditasse, sinceramente, não suportaria."

MILAGRE

A determinação de João Paulo para ter mente e corpo sadios é antiga. Na infância, quis ser padre e foi coroinha várias vezes. Aos 12 anos, queria encontrar o elo entre o humano e o divino. "Queria descobrir o que fez Cristo fazer um milagre e eu não conseguia." Ele passou até pela escola de iniciação de magos, mas diz que encontrou a paz e a felicidade plena com a meditação transcendental, em 1992. Na época, era vereador. De lá para cá, aprendeu a canalizar potencialidades e minimizar fragilidades. "Não é uma mudança artificial. Sou menos ansioso e plenamente resolvido."

Mente sã, corpo quase são. Devido a duas cirurgias bucais e à agenda de viagens, João Paulo ganhou dois quilos. "Estou com 73, mas consigo manter o peso que eu quiser. A gente consegue tudo. Basta querer".

Jornal do Commercio – Coluna Dia a Dia (Social)

A fisioterapeuta Denise Alcântara aumenta a clientela com sua técnica, única em Pernambuco, que alia todas as terapias manuais – RPG, linfoterapia, posturologia, GDS, maitland, osteopatia e quiropraxia.

Sonho com fibra e talento
Recife, domingo, 29 de maio de 2011

Fisioterapeuta Denise Alcântara apostou na perseverança para erguer sua clínica própria há 10 anos.

Fibra e talento conduziram a fisioterapeuta Denise Alcântara ao status de referência em Pernambuco. Em 29 anos de profissão, ela teve que dividir espaços com colegas e cuidar sozinha de um consultório, incluindo atividades de recepção e limpeza. Talvez por isso, tenha desenvolvido um aguçado senso de organização, vital para manter e levar adiante as duas clínicas que levam seu nome no Recife.

Formada em 1982, Denise deu início à carreira dividindo consultórios com colegas. Era a única forma de bancar o aluguel, diante do baixo número de clientes. A estratégia só mudou dez anos depois, quando ela resolveu arriscar-se sozinha. Haja trabalho. "Fazia a recepção e o atendimento do paciente. À noite, limpava o espaço e, de manhã, precisava varrer as folhas que o jardim deixava", lembra.

Aos poucos, a empresa cresceu. Tanto que Denise precisou mudar três vezes de endereço. As casas alugadas sempre ficavam pequenas diante da demanda sempre em expansão. Foi aí que a fisioterapeuta resolveu investir em um espaço próprio, no bairro do Derby. "Praticamente, derrubei a casa. Fiz um projeto completamente dentro das normas de acessibilidade, do padrão de clínica de fisioterapia", afirma.

O detalhe é que, ao escolher o imóvel, Denise estava pensando a longo prazo, já que a estrutura era bem maior do que o negócio exigia. Erro de cálculo. Em apenas cinco anos, o espaço ficou pequeno. Ciente da necessidade de ampliar a empresa, mas sem saber como fazê-lo, a fisioterapeuta contratou uma renomada consultoria. Em reuniões semanais, aprimorou as práticas de gestão e encontrou o caminho para o desenvolvimento sustentável. Coisa que não havia até então.

Conselho

"A consultoria disse que eu só conseguia manter a empresa por causa do meu trabalho especializado. A demanda era alta, mas a remuneração, não, por causa dos planos de saúde." Para resolver o problema, Denise foi orientada a abrir uma segunda clínica, voltada para classes mais altas, dispostas a pagar pelo serviço diretamente, sem convênio. Seguiu o conselho e, em 2008, adquiriu uma área no Empresarial Nassau, na Avenida Agamenon Magalhães.

Na nova casa, Denise atende pessoalmente. As sessões são individuais e mais longas e as técnicas, mais sofisticadas. Neste ponto, inclusive, está o diferencial da fisioterapeuta. Ela é a única do estado a dominar todas as especialidades em terapia manual. Por dia, a clínica recebe, no máximo, dez pacientes.

No Derby, a estrutura é diferente. Embora se disponha a prestar o primeiro atendimento ao paciente, Denise Alcântara mantém o foco na administração. Lá, ela comanda uma equipe de dez fisioterapeutas e oito funcionários de apoio, necessária para responder à demanda de, aproximadamente, 200 pacientes por dia. Os serviços principais são de fisioterapia, hidroterapia, pilates e watsu (relaxamento na piscina).

Nos próximos anos, a fisioterapeuta pretende incorporar ainda mais o papel de empresária. Após 30 anos no Hospital das Clínicas, da Universidade Federal de Pernambuco, ela já começa a fazer planos para a aposentadoria. Ficará "apenas" com o seu negócio pessoal, que já está merecendo novos investimentos. "Estamos trabalhando no limite. Agora, pretendo contratar uma consultoria novamente, para estudar uma ampliação. Aprendi que, neste ramo, ou você cresce ou você cai."

Clínica de fisioterapia Denise Alcântara inaugura nova unidade
20.05.2009

Com 15 anos de atividade em fisioterapia nas áreas de Traumatologia, Ortopedia e Reumatologia, a Clínica Denise Alcântara inaugura nova unidade no Empresarial Nassau, na Ilha do Leite. A unidade se destaca pelo atendimento especial, com hora marcada, e concentra no mesmo espaço as mais avançadas técnicas de terapias manuais, além de fisioterapia.

A Clínica Denise Alcântara da Ilha do Leite é resultado do plano de expansão do centro médico. "Nossa clínica do Derby já não estava comportando a demanda e precisávamos ampliar os serviços. Optamos por criar um espaço de excelência em fisioterapia para pessoas que não podem perder tempo numa sala de espera e precisam de agilidade no atendimento", explica a fisioterapeuta Denise Alcântara, que tem sua atuação vinculada à área acadêmica junto a Universidade Federal de Pernambuco como professora colaboradora e também como fisioterapeuta do Hospital das Clínicas.

Dentro das terapias manuais, a nova Clínica oferece RPG (tratamento para alívio de dores musculares e correção de vícios de postura); Osteopatia (tratamento com uso das mãos em técnicas específicas para cada tecido, indicadas nas dores agudas e crônicas); Quiropraxia (sistema de ajustamentos de segmentos da coluna vertebral); Posturologia (tratamento postural através o uso de palmilhas especiais); Drenagem Linfática (atua tanto no tratamento como na prevenção de edemas e linfoedemas) e GDS (relaciona as dores e as alterações posturais ao aspecto psicossomático do paciente). Além da fisioterapia, que utiliza equipamentos especializados.

"O paciente chega normalmente com queixa de dores no corpo, fazemos uma avaliação global prévia, buscando a origem da dor, e só então indicamos o tratamento. Muitas vezes utilizamos mais de uma técnica no mesmo paciente", diz a fisioterapeuta.

Na unidade do Derby, a Clínica Denise Alcântara concentra além da Fisioterapia e Hidroterapia, Pilates e Watsu (alongamento e relaxamento na água). A clínica tem capacidade de receber até' 200 pacientes por dia, convênio com 40 planos de saúde, e atendimento por ordem de chegada. "Só em abril tivemos três mil pacientes em fisioterapia e mil em hidroterapia. A Fisioterapia e a Hidroterapia são as especialidades mais procuradas na unidade do Derby", finaliza.

Site: www.denisealcantara.com.br